Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > EaD: estudantes de Química realizam visita técnica a termelétricas
Início do conteúdo da página Notícias

EaD: estudantes de Química realizam visita técnica a termelétricas

A atividade pedagógica foi realizada em São Luís e Santo Antonio dos Lopes
  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 20/03/2019 17h05
  • última modificação 21/03/2019 14h36

Estudantes do curso de Licenciatura em Química a distância do Campus São Luís Monte Castelo realizaram visita técnica a usinas termelétricas, com a finalidade de melhorar o embasamento teórico-prático. “Essa atividade é importante, pois permite que os alunos associem a teoria aprendida em sala de aula com sua aplicação na indústria”, destaca o coordenador do curso, professor Marcelo Moizinho Oliveira. “Isso os auxilia a fazer a contextualização das aulas com a realidade das empresas instaladas do Maranhão”, complementou.

 

Os estudantes do polo São Luís conheceram, em 17 de janeiro, a Usina Porto do Itaqui, movida a carvão mineral e que opera há seis anos, com capacidade instalada de 360 megawatts. “Conhecemos a estrutura e a dinâmica de funcionamento da usina, as ações para redução de impactos ambientais, as táticas de segurança adotadas internamente, a demanda e o uso dessa forma de geração de energia no Maranhão”, frizou o estudante Hesley Rodrigues.  “A visita técnica é um excelente método para a fixação do conteúdo, maximização do aprendizado e vai servir de base para a elaboração de aulas para nossos futuros alunos”, complementou.

 

Os estudantes do polo Dom Pedro realizaram a sua visita técnica, em 28 de fevereiro, ao Complexo Parnaíba, um dos maiores parques térmicos de geração de energia à gás natural do país, localizado no município de Santo Antônio dos Lopes, a 300 km da capital maranhense, com 1,4 gigawatts de capacidade instalada. “Foi muito gratificante ter participado da visita”, apontou a estudante Ana Vitória Dias de Jesus. “Compreendi como funciona os processos químicos que ocorrem na indústria de gás natural, a forma de extração, o sistema de tratamento e como o gás natural é utilizado na produção de energia.”, prosseguiu.

 

A visita foi coordenada pelo coordenador do curso, Marcelo Moizinho, acompanhado pelo professor/tutor Elias Silva. Foram visitados as diversas áreas do complexo, os laboratórios de análise na usina termelétrica e na unidade de tratamento de gás, com explicações dos químicos responsáveis sobre cada etapa das atividades, desde a extração do gás até o processamento da energia, com os processos realizados nos laboratórios e nos reatores de produção de energia. “Só tenho a agradecer a toda coordenação que trabalhou em conjunto para a realização deste sonho”, avaliou a estudante Márcio Barrêto. “Tenho certeza que todo conhecimento transmitido por esses profissionais, terá resultado futuro”, concluiu.

 

A Eneva

As duas usinas são administrada pela empresa Evena, companhia brasileira integrada de energia, tendo como principais acionistas o BTG Pactual, a Cambuhy Investimentos, a Uniper e o Banco Itaú. No Complexo Parnaíba, quatro usinas térmicas geram energia a partir do gás produzido pela companhia nos campos que possui na Bacia do Parnaíba, no Maranhão. A energia produzida é enviada ao Sistema Interligado Nacional (SIN) a partir da rede de transmissão que passa nas proximidades.

 

A Eneva tem um parque de geração térmica com 2,2 GW de capacidade instalada, sendo 1,4 GW à gás natural (67% ) e 725 MW à carvão mineral (33%). É a terceira maior empresa em capacidade térmica do país, responsável por 11% da capacidade térmica a gás instalada nacional.  Na parte de óleo e gás, é a maior operadora privada de gás natural do Brasil, com capacidade de produção de 8,4 milhões de m³ por dia. A Eneva opera mais de 40 mil km² de área na Bacia do Parnaíba, no Maranhão, área equivalente ao tamanho da Suíça.

 

O sistema EaD no IFMA

O Centro de Referência Tecnológica (CERTEC) é o órgão gestor responsável por efetivar a articulação entre o IFMA, a CAPES/MEC, outras instituições e os campi que ofertam cursos a distância (EaD).

A oferta de cursos superiores a distância pelo IFMA é realizada por meio da Universidade Aberta do Brasil (UAB) desde 2008. Ela se constitui em um sistema integrado por 106 instituições públicas de Ensino Superior que oferece, por meio da educação mediada pela tecnologia, formação universitária às camadas da população com dificuldade de acesso à graduação.

Atualmente, conta os cursos de especialização em Informática na Educação (com polos em São Luís, Humberto de Campos e Barra do Corda) e graduação em licenciaturas em Geografia, Matemática e Química nos polos São Luís, São João dos Patos, Dom Pedro, Fortaleza dos Nogueiras e Santo Antonio dos Lopes.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página